MEMBRO DO AfD VENCE PROCESSO
 

 


Björn Höcke do AfD, vence processo em Neubrandenburg

Por Jochen Zenthöfer

NORDKURIER


23 de junho de 2017


Björn Höcke nunca disse: “Fora turcos!” e por isso venceu um processo contra uma agência de notícias de Berlim. O fato ocorreu durante um ato realizado em Neubrandenburg


Em 12 de agosto de 2016, o líder da bancada do AfD em Thüringen, Björn Höcke fez um discurso em um mercado de feira livre, em Neubrandenburg.

Por volta de 200 espectadores e a da imprensa de todo o país, como o Norkurier e os berlinenses do DIE WELT, estiveram presentes com seus correspondentes, os quais relataram as declarações de Höcke, mas não de forma correta. O resultado da sentença foi proferido pelo Tribunal Estadual de Neubrandenburg e a mesma tem a ver com o nosso jornal, o Nordkurier.

“Uma citação crítica precisa ser verdadeira”, escreveu o juiz Benjamin Beischer. Ele frisou que essas declarações ou críticas, não devem ser depreciativas. Citações de políticos não deveriam se confundir com as interpretações de jornalistas.

A respeito do comício ocorrido, o DIE WELT escreveu: “Björn Höcke provoca: Fora Turcos!”. De modo algum Björn Höcke bradou “Fora Turcos!”, ele disse o seguinte: “Nós agora não somos mais donos de nossa casa, foi isso o que os turcos demonstraram em Köln. (...) Os manifestantes de Köln quiseram ser turcos. (...) Mas eles abusaram de nossa hospitalidade. Eles conclamaram: “Vida longa a Erdogan!”, mas eu digo: “Voltem para seu país e cumpram o seu desejo!”.
O Julgamento da Corte

O Tribunal de Neubrandenburg teceu comentários, em relação às declarações. “O contexto do discurso, embora bastante polêmico e enérgico com manifestantes pró-Erdogan e os turcos, os quais apóiam o presidente turco na Alemanha, acabou expondo Höcke.Não ficou claro e nem evidente, que houve uma analogia a todos os turcos, sem qualquer diferenciação ou a intenção de intimá-los a irem embora. Então, colocar palavras na boca de Höcke, as quais ele não fez, prejudicam o seu valor perante a sociedade”.Após as palavras proferidas em sentença pelo tribunal, chama-se também ao fato, que Höcke expôs mais críticas aos não-alemães residentes na Alemanha. 

Princípio do tratamento igualitário

De lá pra cá, o político do AfD, pediu um direito de resposta ao DIE WELT. Até mesmo o tribunal ditou como esse direito de resposta deveria ser elaborado. “Björn Höcke não fez nenhum comentário “Fora turcos!”. A sentença do Tribunal Estadual de Neubrandenburg reafirma que todo homem na Alemanha, se faz valer do Direito e das Leis, e que também o político do AfD poderia confiar no Estado de Direito alemão.

Apesar dos fatos, Höcke está incomodado com algumas coisas. Na metade do mês de fevereiro de 2017, a direção nacional do AfD deu início a um processo de expulsão do partido. Suas declarações controversas no Memorial do Holocausto, em Berlim, se tornaram também o motivo do declínio do partido, apontou o Instituto de Pesquisas Allensbach, mostrando que o AfD possui apenas 6,5% das intenções de votos a nível nacional.
 

Um comentário do repórter-chefe do Nordkurier, Jörg Spreemann:
 

Sem carta-branca para Höcke

Esse é o homem que também se distingue do espírito do AfD. “O Provocador de Thüringen” navega à margem da direita nacionalista do eleitorado e faz um importante trabalho para o seu partido. Os que muitas vezes no passado davam o seu voto ao NPD, agora os dão ao AfD.

Todo processo de expulsão, acaba dando em nada. Höcke, o professor licenciado do ginásio, pode contar com uma enorme quantidade de apoiadores no partido. Ele segue em frente com seus ataques a História ou aos estrangeiros, mesmo aqueles que tiveram permissão de cruzar as fronteiras. E, passa pelo tribunal, a medida da profundidade que ele pode atingir.

Após sua aparição, em Neubrandenburg, em agosto de 2016, o periódico nacional, DIE WELT, trouxe à tona a essência do discurso de Höcke, a respeito dos turcos na Alemanha.Visto que ele ganhou o processo de expulsão do partido, porém não literalmente, mas do Tribunal Estadual. Isso não é uma carta branca. Höcke precisa tolerar e aceitar que gestos, mímicas e palavras alternativas serão sempre colocadas numa balança dourada.

Tradução: Márcio Alexandre